Siga-nos:

Facebook

Advocacia e Activismo Social

O Zizile actua nesta área como:
Promotora de processos e espaços de desenvolvimento - através da criação de espaços, da realização de conferências, encontros, diálogos e seminários que proporcionem oportunidades para partilha de experiências e diálogo a nível local, nacional, regional e internacional, sobre assuntos relevantes para o fortalecimento dos actores na área de desenvolvimento e educação da criança na primeira infância.

Para este fim, foi criada uma rede de organizações e instituições que trabalham em torno do desenvolvimento da primeira infância em Moçambique, a RDPI - Rede para o Desenvolvimento da Primeira Infância. O ZIZILE foi a instituição seleccionada pelos outros intervenientes para assumir o papel de mandatário da RDPI pelo período de dois anos.

Defensora e Influenciadora de Causas (Advocator & Lobist) – desenvolvendo e promovendo acções que criem um ambiente local, nacional e global favorável ao desenvolvimento e educação da criança na primeira infância;

Promotora de desenvolvimento e capacitação de grupos organizados da Sociedade Civil – através da capacitação organizacional, institucional, programática e da promoção de movimentos e redes temáticas, para fortalecer e desenvolver a sociedade civil, para que esta seja mais activa e participativa nos processos de desenvolvimento e educação da criança na primeira infância;

Mobilizadora de Recursos – através da busca de recursos financeiros, materiais e humanos que possam impulsionar o desenvolvimento e educação da criança na primeira infância;

Promotora de boas práticas – através do registo, da sistematização e da disseminação de informação, de práticas e de conhecimento relevantes na área de desenvolvimento e educação da criança na primeira infância;

O processo de advocacia e activismo social tem como objectivo primário a criação de um ambiente nacional favorável ao Desenvolvimento e Educação da Primeira Infância, que se traduz, de acordo com a demanda das Organizações que trabalham no Desenvolvimento da Primeira Infância.

  • numa visão nacional do que desejamos para a nossa criança, para que se possa garantir o cumprimento da Lei e da Convenção dos Direitos da Criança;
  • numa visão nacional sobre o que seja Desenvolvimento e Educação da Primeira Infância;
  • que a voz da criança é escutada nos assuntos que a ela dizem respeito;
  • na existência de uma estrutura no Governo e no estado que cuide de forma holística da criança;
  • na existência de padrões nacionais de qualidade em DEPI e linhas de orientação, indicadores e terminologias comuns;
  • na divulgação de conceitos e práticas de DEPI, através de diálogo participativo e construtivo a todos os níveis de intervenção.

O eixo fundamental para o sucesso dos esforços de advocacia e para todos os outros processos a seguir apresentados, é o eixo da coordenação institucional. A coordenação institucional deve incluir:

  • Os órgãos públicos responsáveis pelos Sistemas Nacionais (Educação, Saúde e Acção Social, Justiça, Ambiente e Obras Publicas), ao nível central, provincial e distrital
  • As instituições de formação e educação de professores e educadores de infância,
  • Associações, ONGs, instituições religiosas, movimentos juvenis, partidos políticos e sector privado,
  • Todos os actores que estejam a intervir no Desenvolvimento da Primeira Infância e cuja intervenção esteja a gerar impacto e a servir de referência para outras instituições.

Este eixo de advocacia deve estender-se aos órgãos de comunicação social, que devem encontrar meios de dar cara e voz à criança, tornando presente a sua identidade, personalidade, vontade, opinião em vez de continuar a tratar as crianças como números e através de discurso.

É nossa convicção que todos estes elementos são essenciais para que todo o esforço de aumentar a cobertura e garantir a qualidade dos serviços de DEPI, possa ser feito com qualidade, eficácia e eficiência. Só desta forma será possível edificar uma base político-legal-institucional que efectivamente coloque a criança no centro das prioridades de desenvolvimento, mas também se desenhe e implemente os mecanismos e sistemas nacionais de DEPI, enquanto se mobiliza toda a energia social em favor deste objectivo.