Siga-nos:

Facebook

O Zizile organizou o seu II Encontro Nacional sobre DPI

encontro-nacionalRealizou-se nos dias 1, 2 e 3 de Outubro de 2013 o II Encontro Nacional promovido pelo Zizile, que juntou diversos actores e organizações governamentais e não-governamentais responsáveis pelo DPI no país.

Este encontro possibilitou a partilha de experiencias e discussões, entre os presentes, sobre as necessidades e especificidades "De uma Criança Moçambicana"1. Com o lema,"Por uma intervenção eficaz e sustentável para o Desenvolvimento na Primeira Infância", esse encontro promoveu reflexões sobre os progressos alcançados pelas instituições do Governo, da Sociedade Civil, de formação e Grupo de Interesse, para o desenvolvimento de um modelo de intervenção de DPI que seja eficaz e sustentável. O encontro nacional teve como resultados: i) obtido o consenso de uma visão partilhada sobre Desenvolvimento da Primeira Infância e padronização dos diferentes modelos; ii) analisado o andamento e o resultado das acções realizadas na área de DPI no país; iii) reflexão sobre a importância do investimento no DPI; iv) definida uma comissão para trabalhar no secretariado para a legalização da Rede Nacional de DPI em Moçambique com base nas recomendações das diversas partes interessadas, entre outros produtos alcançados.
Ao longo do encontro foram efectuadas apresentações que suscitaram discussões em plenária, que se mostraram relevantes por constituirem preocupações de consenso dos participantes, bem como, recomendações que se espera que sirvam de marcos de orientação para as acções futuras e que serão de seguida apresentadas:

  • Realizar pesquisas sobre comportamentos, atitudes e práticas de DPI nas diversas sociedades Moçambicanas, de modo a se construir uma visão partilhada sobre o tema.
  • Mapear no país as intervenções de DPI, identificando todos os actores intervenientes na área de DPI (quem são, o que fazem, como fazem).
  • Realizar mapeamento para saber o que existe em termos de coordenação, antes de avançar com novos órgãos de coordenação.
  • Definir as responsabilidades do Governo na provisão de serviços de DPI, na coordenação e regulamentação.
  • Definir o papel do Estado como provedor vs regulador.
  • Assegurar que se consideram os papéis do Governo, Sociedade Civil e dos pais na provisão de serviços na área de DPI (tendo em conta que os pais são actores indispensáveis).
  • Desenvolver “Investment cases” para advogar junto do governo para um maior investimento em DPI, demonstrando os benefícios económicos do DPI em Moçambique.
  • UNICEF – assegurar o seu papel de advogar, junto do Governo e parceiros de cooperação, para o alargamento do investimento em DPI.
  • Incluir nas actividades de planificação do Governo a planificação de DPI tendo em conta espaços para construção de escolinhas, formação de educadores e produção de materiais.
  • Apostar no investimento do desenvolvimento da criança nos primeiros 1000 dias.
  • Definir-se com clareza a discussão sobre DPI VS educação pré-escolar.
  • Advogar para que a educação pré-escolar se torne uma prioridade estratégica do Governo (tendo em conta o movimento de ONGs, MINED e outros).

O encontro, que envolveu cerca de 100 pessoas, representou um momento importante para o Zizile, pois reforçou o papel, a credibilidade e a relevância do instituto entre as OSC, Governo, instituições académicas, doadores e sector privado.